mulher.

.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Meu livro - Minha História




À medida que a cidade ia sumindo entre as nuvens, olhei em volta de onde estava assentada e, fitando alguns rostos impassíveis, ima­ginei que cada um tinha uma história, cada ruga, cada expressão escon­dia, com certeza, dias felizes ou tristes, ensolarados ou sombrios. Enquan­to pensava nas possíveis histórias daquelas pessoas, mergulhei na minha própria, que começou, como tantas outras, num dia comum de trabalho há dois anos no Brasil.
  Casamento fora dos propósitos de Deus 
       Naquela época eu não vivia, apenas sobrevivia, Tinha dois filhos que precisavam de mim, um marido eternamente desempregado, e um trabalho do qual não gostava. Era uma jovem casada, preocupada com a vida difícil que levávamos com o futuro incerto e o descaso do marido.
     Desde o início do meu casamento que minha comunhão com Deus tinha fracassado. Devido ao pouco caso que o meu marido fazia dos assuntos relacionados a Deus, eu não consegui mais ficar na presença do Senhor, parei de ir à igreja e passei a viver apenas para o casamento e para os filhos.
     Nesse período fui à igreja onde meu pai era pastor apenas para apresentar meus filhos quando eles nasceram. Dentro de um casamento onde a única bênção de Deus eram meus dois filhos, eu vivia estressada e obrigada a trabalhar em lugares que eu não gostava nem aprovava, mas ia para agradar o marido e ajudá-lo a alcançar seus objetivos. Aos poucos fui percebendo que esses objetivos eram apenas seu bem estar pessoal e não incluía o bem estar da família. Eu fui suportando esse tipo de vida e trabalhando assim mesmo, porque não queria tornar a passar pelas dificuldades psicológicas que tinha vivido antes de aceitar esse trabalho ao qual ele me obrigava, dificuldades essas que me levaram à depressões intermináveis. Certa noite nesse trabalho, durante o meu horário de café, sentei numa cadeira do jardim e olhei para o céu. Parecia que alguém havia limpado naquela noite o céu de São Paulo, pois ele estava lindo, limpo e muito estrelado. Olhando encantada para o brilho das estrelas, fiz um pedido a Deus.
Damaris Lisboa




sábado, 6 de fevereiro de 2016

Os galhos secos de minha vida


     Eu nunca escolhi esta música, mas foi uma das primeiras que aprendi a tocar no violão. 
     Nunca poderia imaginar o quanto Deus usaria "OS GALHOS SECOS" para falar comigo. 
     Muitos anos depois, quando me encontrava sozinha, sem família, amigos, sem ninguém, Deus usou uma amiga alemã para me mandar uma carta quando eu estava na Turquia, correndo risco de morte. Na carta ela dizia lembrar-se de mim sempre que ouvia a música, "OS GALHOS SECOS".  
     Alguns dias depois, na mesma semana, recebi uma carta da minha irmã que me mandou a letra desta mesma música. Coincidência? 
     Algum tempo atrás, quando me senti sem forças para a luta que estava travando naqueles dias, saí para resolver questões que não vem ao caso e peguei uma Vam.
     Na garganta tinha um nó, e nos olhos as lágrimas teimavam querendo cair. Dentro da Vam, o rádio estava ligado em uma emissora de funk.
     Sentei-me entre duas pessoas e olhando fixamente para frente, tensa, tive uma grande surpresa... 
     Só podia ser Ele, só podia ser Deus, pois na emissora de música funk entrou uma música suave... o som parecia querer me acalmar... queria me falar que "OS GALHOS SECOS DE UMA ÁRVORE QUALQUER, ONDE NINGUÉM JAMAIS PUDESSE IMAGINAR..."
     Eu, sem me importar com o lugar onde estava, cantei, chorei e me acalmei para enfim chegar ao meu destino. Não preciso ir atrás desta ou daquela pessoa para ouvir Deus, Ele fala comigo quando e como Ele quer.

E eu? Vim para adorar-te Deus!!!

      OBRIGADA MEU DEUS POR ESTAR SEMPRE AO MEU LADO E TER SEMPRE À MINHA ESPERA UM "ESCONDERIJO DO ALTÍSSIMO" PARA ME ACOLHER E CUIDAR DE TODAS AS FERIDAS CAUSADAS PELAS BATALHAS DA VIDA.
DamarisLisboa

sábado, 9 de janeiro de 2016

SER MARTA OU SER MARIA? Lucas 10.38-42



Lucas 10.38-42
38 Ora, quando iam de caminho, entrou Jesus numa aldeia; e certa mulher, por nome Marta, o recebeu em sua casa.
39 Tinha esta uma irmã chamada Maria, a qual, sentando-se aos pés do Senhor, ouvia a sua palavra.
40 Marta, porém, andava preocupada com muito serviço; e aproximando-se, disse: Senhor, não se te dá que minha irmã me tenha deixado a servir sozinha? Dize-lhe, pois, que me ajude.
41 Respondeu-lhe o Senhor: Marta, Marta, estás ansiosa e perturbada com muitas coisas;
42 entretanto poucas são necessárias, ou mesmo uma só; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.

Ser Marta ou Maria deve ser um dilema causador de muitas brigas internas na maioria das servas de Deus, principalmente as que estudam e trabalham, as casadas, as mães e as que trabalham fora. A maioria com jornada dupla de trabalho se vê em desarmonia com a resposta que Jesus deu a Marta e não consegue entender qual a melhor forma de se situar entre as duas irmãs. Por um lado querem muito servir a Deus, apesar da necessidade de trabalhar, cuidar da casa, dos filhos e do marido. Como servir a Deus da melhor forma sem deixar a desejar com o marido, os filhos, a casa e o emprego? Como se deixar apenas adorar e ficar recebendo as bênçãos dos céus, apenas comendo do maná que o Senhor tem para dá, apenas tomando da água que conduz à vida eterna? É difícil ser Marta, é difícil ser Maria.

Antes de tudo precisamos entender bem o que é ser Marta e o que é ser Maria.

Marta e Maria eram irmãs de Lázaro e moravam em Betania, uma cidade simples, na encosta do monte das Oliveiras e cerca de três a seis quilômetros de Jerusalém. Para Jesus aquela era uma cidade importante porque lá moravam seus três amigos, cuja residência ele podia visitar para repousar e descansar de vez em quando.
Onde você está, como está, onde mora e, como mora é importante para Deus. Ele passa lá sempre, quer sua companhia, quer estar ao seu lado.
                                      MARTA
A forma como Marta é citada indica ou nos leva a crer que ela gostava de cozinhar, era a mais velha, a dona da casa e ótima anfitriã.
Vamos entrar no mundo dela para melhor entendê-la? Imagine a marta pela manhã, mais ou menos 10 horas, recebendo um telefonema onde Jesus, o seu grande e sublime amigo diz que está passando por sua cidade e esta vindo à sua casa; chegará às duas horas. Marta diz que ficará muito feliz em recebê-lo, pergunta quantas pessoas o acompanham e se ele prefere pão ou bolo para o café. Jesus responde que ela não precisa se preocupar com o pão, ele pode passar em uma padaria e comprar, ela educadamente diz que é ele quem não deve ter a preocupação de passar na padaria enquanto vem para sua casa e pode vir tranqüilo porque ela está cuidando de tudo.
O rosto de Marta está afogueado, ela olha a pia com as vasilhas do café, olha a roupa de cama que precisa ser trocada, as toalhas que estão desencontradas, a geladeira está vazia, e tudo mais está por fazer. Ela chama Maria, passa a ela algumas tarefas enquanto a informa de que Jesus está para chegar. Maria parece não ver todo aquele serviço que causa tanta inquietação em Marta, vai fazer suas tarefas enquanto pensa no quanto vai aprender com Jesus naquele dia e que nada nem ninguém vão impedi-la de ouvir o mestre. Marta pega a bolsa e sai correndo para o supermercado tentando fazer uma lista de tudo o que precisa, passa pela padaria pede para reservarem o pão mais novo para ela, pede ao açougueiro para deixar a carne bem cortada para ela pegar na volta, é preciso estar prevenida também para o jantar. Nos corredores do supermercado ela vai olhando e pegando tudo o que precisa enquanto fala ao celular adiando e refazendo compromissos e avisando as amigas sobre o ilustre visitante. Tanta coisa para fazer em tão pouco tempo. Ela não pode servir qualquer coisa, não pode servir a refeição do dia a dia, ela sabe que para Jesus precisa ser melhor e quer fazer o melhor.
As horas passam depressa, e antes de tudo ficar pronto, chega o rapaz dizendo que Jesus esta chegando. Num impulso Marta sai correndo ao encontro de Jesus enquanto arruma o cabelo e a roupa. Quer muito receber-lo , tem saudades do Mestre, deseja estar frente a frente com aquele que lhe ensinou um novo caminho, com aquele que lhe deu uma nova vida. Seu coração regozija de alegria ao abrir a porta de sua casa, quanta honra poder receber Jesus em casa.
                                         MARIA
     Maria se apresenta de forma que nos leva a entender que se trata de uma moça que sonha, que ainda esta se preparando para a vida. Moça mais calma, mais quieta, que mais sente do que fala. As atitudes dela nos mostra que ela é uma moça romântica, provavelmente gostava de flores e era vaidosa, percebemos isto quando ela pega uma perfume caríssimo e leva para ungir os pés de Jesus, eu e meu marido fizemos as contas e chegamos a conclusão de que aquele perfume teria custado mais ou menos 2500,00, tão caro que chamou a atenção dos que estavam com o mestre nesta ocasião. O que tem a ver o perfume caro com a vaidade? Tudo. Ela queria fazer algo importante, algo do qual Jesus se lembrasse sempre. O perfume era algo muito importante para ela, algo do qual gostava e que custava muito dinheiro, era o seu sacrifício. Ela deu a Jesus aquilo que para ela era muito importante, ela deu seu perfume e sua adoração. Percebemos a forma de ela lidar com seus sentimentos quando Lázaro, seu irmão morreu, ela ficou sentada chorando e esperando Jesus que estava chegando, só se levantou para ir ao encontro dele quando Marta veio e lhe incentivou. Em lucas 10:38.42, ela queria ser saciada, queria receber tudo o que Jesus tinha para dar ali naquele momento



     Jesus entrou em casa de Marta e Maria acompanhado de seus discípulos e algumas mulheres, falando, sorrindo e agitados, todos estão cansados e com sede. Dentro da sala vão sendo formados grupos de pessoas que se acomodam e sentam para ouvir o Mestre enquanto descansam os pés. Lá fora uma pequena multidão formada por moradores da cidade se juntam àqueles que seguiam Jesus pelo caminho e cada um tenta encontrar o melhor lugar para ver, ouvir ou apenas estar perto do Nazareno.
Maria também recebe a todos, ajuda para que se acomodem e quando percebe que estão todos acomodados e que Jesus esta começando a ensinar, ela se senta próximo do grupo que está ao lado de Jesus. Aos poucos e sem ninguém perceber ela vai se aproximando até que chega aos pés do Mestre. Sentar ao pés de um mestre era muito importante, significava ser discipulado, aprendiz e seguidor dele. Imagine então a importância de sentar-se aos pés do mestre Jesus. Era ali que ela sonhava estar, era aquele o momento tão esperado por ela, queria a chance de ouvir Jesus de perto, de aprender e receber tão precioso alimento espiritual.

Marta e Maria. Duas personalidades totalmente diferentes. Marta depois de receber Jesus e deixá-lo à vontade, voltou para seus afazeres na cozinha com a intenção de servir ao mestre. Maria depois de receber Jesus arrumou uma forma de ir se aproximando até que pudesse estar aos pés do Mestre.
Marta queria oferecer, Maria queria receber.

Deus espera que quem se sente(sentir) Marta aprenda com Maria e quem se sente Maria aprenda com Marta e quando aprendermos que precisamos ser um pouco Marta e um pouco Maria conseguiremos chegar ao centro da vontade de Deus. Saberemos dividir nosso tempo entre o servir e o receber. Entre o falar e o ouvir. Entre o andar e o esperar.

Marias se encontram no Salmo cap.1vers.1,3 elas “tem prazer na lei do Senhor e na sua lei medita de dia e de noite.” Marias são as inspirações das Martas, tem a sabedoria do receber, da fé, do esperar em Deus. As Marias sabem de onde vem o nosso socorro, onde fica o esconderijo do altíssimo e qual Senhor é o nosso Pastor.

Martas erguem a bandeira de Isaias:cap 6 ver 8. “Eis me aqui” Martas querem as capas com porção dobrada, Martas acreditam na iniciativa que transforma as dificuldades em milagres, que salvam os primogênitos, que abrem o mar vermelho, que tiram água da pedra, que transformam rolos de linhos, ouro e madeiras em Tabernáculo, em casa do altíssimo.

Martas que conduzem Marias. Marias que podem ser nossos filhos, maridos, pais, irmãos, igrejas e talvez podemos descobrir que Marias somos nós mesmas.

Jesus não disse a Marta que ela estava errada em trabalhar, em querer fazer o melhor. Jesus percebeu que ela havia se entregado tanto ao trabalho que estava perdendo o melhor daquele encontro. Jesus reconhecia o seu talento. Não seria este o motivo de sua casa ser tão aconchegante? O escritor Lucas deixa claro a aprovação de Jesus ao descrever o encontro que Ele teve com alguns doutores onde foi questionado e respondeu contando a parábola do samaritano.Lucas:cap. 10 vers.25,37. O samaritano era como Marta, uma pessoa disposta a servir. O sacerdote e o levita deixaram o homem ferido onde estava e até atravessaram a rua, passaram longe para não ter que ajudar. O samaritano, passou azeite para aliviar a dor, jogou o vinho sarar as feridas, carregou o homem, colocou-o na cela do cavalo e levou-o consigo. Este samaritano estava passando ali em viagem provavelmente indo de Samaria para a Judéia, acredito que ele não tinha a intenção de pousar por ali. Sozinho ele seguiria direto, mas parou em uma estalagem onde cuidou do homem e pagou para que o hospedeiro continuasse a manter e cuidar do homem ali. O que me leva a crer que o samaritano ia para a Judéia é o fato de que ele ia passar ali de volta e pagar a conta. Se olharmos o mapa veremos que Samaria esta na região norte, ali próximo deles estava Jerusalém no caminho a direita e Jericó a esquerda. Samaritanos não se davam com o povo de Jerusalém então ele não iria ficar por ali. A sua frente ao sul esta a Judéia e esta poderia ser o destino deste homem que tem a atitude aprovada por Jesus. Observemos que ele trabalhou e pagou para que o homem ferido ficasse bem e fosse bem atendido. Esta atitude seria a atitude de uma Marta com certeza.

     Temos na palavra de Deus a historia de um grande homem que conseguiu ser como Marta e Maria. Davi trabalhava no campo pastoreando ovelhas de seu pai e lutava muito para protegê-las dos perigos, porém, nas horas em que não existia perigo ele pegava sua harpa e adorava a Deus. Trabalhava como Marta e adorava como Maria.
Jesus disse a Marta que ela estava “ansiosa”, quantas vezes não ficamos assim? Ansiedade faz com que a pessoa veja e reveja tudo o que já esta pronto e até refaça alguma coisa. Precisamos rever o motivo de nossas preocupações e de nossas ansiedades. Talvez tudo já esteja pronto, mas queremos fazer e refazer e estamos sempre vendo algo que precisa ser feito e não conseguimos pensar que também precisamos adorar ao nosso Deus. Precisamos deixar ansiedades, preocupações e trabalhos e voltarmos nossa atenção para o autor e consumador da fé.

A SABEDORIA DO PRUDENTE É ENTENDER O SEU CAMINHO (Pv 14.08)
Damaris LGCosta

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Sala de Oração. Vamos orar juntas(os)?


Faremos desta página o nosso Golgota, lugar de oração.
Aqui nós vamos orar juntas(os). No espaço para comentários abaixo faça a sua oração ou continue a minha, porque quando oramos juntos, ficamos mais fortes, e saímos vitoriosas  contra satanás.

Deus... Deus, nesta noite, quero em primeiro lugar pedir perdão pelos meus pecados, quero entrar em sua presença de mãos limpas, e coração puro.
Quero agradecer por derramar tantas bênçãos em minha vida, família e igreja.
Quero agradecer por mais este espaço onde podemos nos encontrar para te adorar, bendizer e nos derramar em tua presença.
Receba hoje toda a nossa gratidão, toda a nossa adoração e nosso louvor.
Receba hoje também, pai, o pedido especial a favor da pessoa que está aqui lendo esta oração, e orando comigo. Atenda suas petições, acalme seu coração, sinta suas aflições e dê ordens aos seus anjos a favor desta pessoa que tanto precisa do Senhor, Meu Deus. Ser com ela, cure suas feridas, sare sua alma e alivie o teu Espírito. Derrame suas bênçãos sobre ela em nome de Jesus e a abençoe para a Gloria de seu Nome.
Te pedimos e agradecemos EM NOME DE JESUS CRISTO, AMÉM